Educação ambiental, produção e difusão do conhecimento agroflorestal

July 5, 2017

Brazil Placeholder
Brazil

Educação ambiental, produção e difusão do conhecimento agroflorestal

Sobre esta organização: 

Nome: Associação dos Agricultores Agroflorestais de Barra do Turvo e Adrianópolis - Cooperafloresta

País: Brazil

Ano de fundação: 2003

Tipo de organização:  Associações ou organizações de base comunitária / Estatuto sem fins lucrativos legalmente reconhecido / Empresa ou negócio comunitário / Negócio cooperativo / Grupo ou associação de minorias étnicas

Descrição breve

Desde o início de sua atuação, a Cooperafloresta se pautou pela interação com organizações parceiras, pela produção de conhecimento a partir da conjugação entre observação e saber de cada um e, fundamentalmente, pela democratização do saber construído a partir da experiência.
Atuando diretamente com 78 famílias que além de realizarem mutirões de troca de saberes e manejo agroflorestal, recebem capacitações relacionadas a questões ambientais, manejo agroflorestal, entre outras; realiza a produção e divulgação de materiais de divulgação (folders, boletins, cartilhas, livros, vídeos), impressos ou digitalizados, também atuando com os estudantes de escolas públicas da região.
A Cooperafloresta, auxiliada por recursos provenientes de projetos, assessora outras 180 famílias assentadas, distribuídas nos municípios de Morretes, Antonina, Paranaguá e Lapa (PR); Ribeirão Preto, Apiaí, Itapeva, Sarapuí, Iaras e Gália (SP), nos processos de organização, formação e fortalecimento das famílias agricultoras, planejamento dos sistemas agroflorestais, beneficiamento, agroindustrialização, certificação participativa e comercialização da produção.
A Cooperafloresta tem parceria com 34 organizações governamentais e não governamentais que contribuem para a produção e reprodução do conhecimento. Recebe visitantes de várias regiões do Brasil, contabilizando aproximadamente 700 visitantes/ano que participam de cursos, intercâmbios ou visitas às áreas de agrofloresta.

Elemento ambiental

Florestas / Montanhas / Zonas húmidas / Rios / Vida selvagem

 Tipo de ação

Proteção / Recuperação / Uso sustentável / Troca de benefícios / Prevenção de poluição / limpeza / Consciencialização e educação

Elemento de desenvolvimento sustentável

Emprego e subsistência / Segurança alimentar / Segurança de abastecimento de água / Redução do risco de catástrofes / Saúde / Ação climática

Objetivo(s) de Desarrollo Sostenible Relacionado(s)

        

Impactos ambientais

Alguns dos impactos estão relacionados a resultados obtidos por organizações parceiras, visitas as agroflorestas, repercussão do material de divulgação e a influencia dos jovens na rotina das famílias não associadas.
Contabilizando as agroflorestas da Cooperafloresta e das implantadas em organizações parceiras são mais de 1.200 ha em processo de reflorestamento, com alta diversidade e densidade de espécies nativas, recuperando e conservando os recursos naturais, com previsão de fixação de 8 mil toneladas de carbono por ano. Os impactos das visitas e repercussão do material de divulgação acaba sendo difícil de mensurar, mas é sabido de inúmeras iniciativas, relacionadas a implantação e manejo, de pessoas que após a visita na Cooperafloresta decidiram realizar. Quanto os jovens e crianças que participaram de alguma das atividades de educação ambiental, alguns tem influenciado seus pais quanto a não utilização de fogo ou venenos, plantios diversificados, conservação do ambiente, etc.

Impactos de desenvolvimento sustentável

Tem-se os seguintes impactos, de acordo com a dimensão: econômica: contribuição nas perspectivas de financiamento para pequenos produtores agrícolas; ecológica: ampliação das áreas sob manejo sustentável em diversas regiões do Brasil, contribuição direta ou indireta; sociocultural: interação e troca de saberes entre comunidades quilombolas, indígenas, caipiras, caiçaras, camponesas, reafirmação de identidades culturais; realização de aproximadamente 1.000 mutirões por ano de troca de saberes e manejo agroflorestal; educação ambiental e sensibilização ecológica para mais de 1.500 estudantes com colégios públicos de ensino fundamental, médio e técnico do município e região; política: estabelecimento de parcerias com fortalecimento político da Cooperafloresta e de suas entidades parceiras, influência em políticas públicas, democratização do conhecimento construído coletivamente; territorial: fortalecimento da luta pela terra de diversas instituições, maior autonomia na gestão da terra

Redimensionabilidade

A Plataforma de Boas Práticas para o Desenvolvimento Sustentável (www.boaspraticas.org.br), lançada em 2014 pela Unidade de Coordenação de Projetos da FAO, em parceria com a ITAIPU Binacional e o Governo do Estado do Paraná, incluiu o Projeto Agroflorestar, da Cooperafloresta, entre o conjunto de iniciativas bem-sucedidas, com vistas a proporcionar a troca de experiências, sobretudo entre nações latinoamericanas e africanas, a partir do diálogo em prol do desenvolvimento sustentável. A Tecnologia Social que permeia o Projeto da Cooperafloresta foi destacada, em 2013, entre as três melhores do país, que atuam na transformação de comunidades. A condecoração foi decorrente do prêmio promovido pela Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social, que elegeu o projeto ‘Agrofloresta baseada na estrutura, dinâmica e biodiversidade florestal’ um dos três ícones do Brasil, na categoria “Comunidades Tradicionais, Agricultores Familiares e Assentados da Reforma Agrária”.

Reprodutibilidade

As parcerias da Cooperafloresta contribuíram para a replicação das ações. Filiada à Rede Ecovida de Agroecologia há mais de 15 anos, se articula também com diversas instituições engajadas na luta pelo desenvolvimento da agricultura familiar e da agroecologia, entre elas: IAF; Visão Mundial; prefeituras de Barra do Turvo, Adrianópolis e Bocaiúva; instituições de ensino; Instituto Florestal; CATI (SP), Instituto Ambiental do Paraná, EMATER (PR), etc. O engajamento propicia uma contínua atualização sobre os diversos instrumentos de política pública, notadamente os que se referem à agricultura familiar. O projeto tem gerado referências para políticas públicas no Brasil e em outros países.No Brasil, tem-se a proposta da UFSC de compartilhar as experiências consolidadas ou em andamento com o manejo ou beneficiamento de Sistemas Agroflorestais Agroecológicos do Sul (SAFAS), aprovado pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico.

Compartilhe esta solução:

 


 

Equator Blog

About Equator Initiative 

Contact Us

Follow Us: