Desenvolvimento de Atividades Turísticas em Zona Costeira sem prejuízo aos bens ambientais e sem vulnerabilização das populações locais e com incentivo à inovações tecnológicas nas atividades tradicionais costeiras

July 6, 2017

Brazil Placeholder
Brazil

Desenvolvimento de Atividades Turísticas em Zona Costeira sem prejuízo aos bens ambientais e sem vulnerabilização das populações locais e com incentivo à inovações tecnológicas nas atividades tradicionais costeiras

Sobre esta organização: 

Nome: Rede Cearense de Turismo Comunitário

País: Brazil

Ano de fundação: 2008

Tipo de organização:  Empresa ou negócio comunitário

Descrição breve

O turismo comunitário valoriza as populações locais e seus modos de vida, não provoca nem agrava conflitos fundiários ou em torno dos recursos hídricos, não reduz espaços produtivos, de moradia e convivência comunitária. Está baseado nas formas ancestrais sob as quais a comunidade organiza e distribui o uso individual e coletivo da terra e da água; Colabora na organização comunitária articulada em rede e com maior poder de influência na gestão dos territórios; Resignifica o intercambio cultural com os visitantes e com a sociedade, com autonomia e possibilidades comunitárias de influenciar positivamente o olhar sobre a zona costeira, suas populações e importância socioambiental.

Elemento ambiental

Zonas costeiras / Zonas húmidas

 Tipo de ação

Proteção / Uso sustentável / Prevenção de poluição / limpeza / Consciencialização e educação

Elemento de desenvolvimento sustentável

Emprego e subsistência / Segurança alimentar

Objetivo(s) de Desarrollo Sostenible Relacionado(s)

    

Impactos ambientais

13 territórios costeiros de elevado valor ambiental estão sendo protegidos, valorizados e visibilizados pelos grupos locais de turismo comunitário. Nessas comunidades predominam os bancos de algas, recifes de corais, ecossistema manguezal, campo de dunas e falésias e corpos d'agua. O turismo comunitário tem sido uma ferramenta de valorização e defesa dos territórios e modos de vida, frente aos conflitos ambientais e fundiários; as comunidades estão buscando acionar órgãos e políticas públicas de proteção aos bens ambientais e suas histórias associadas como campos de dunas, parques arqueológicos e áreas de manguezais; o turismo comunitário, agregado às formas tradicionais de uso e ocupação dos territórios tem fortalecido o desenvolvimento de uma Unidade de Conservação decretada, a Reserva Extrativista da Prainha do Canto Verde argumentado como justificativa para a decretação de outra Reserva Extrativista, a Reserva Extrativista de Tatajuba.

Impactos de desenvolvimento sustentável

3 comunidades fortalecendo sistemas tradicionais e tecnologias sustentáveis de uso e ocupação dos territórios costeiros (Casa de Farinha, Energia Solar e Quintais Produtivos); Os dados fornecidos pelos grupos de turismo comunitário apresentam um crescimento em mais de 50% do numero de turistas solidários, subindo de 3011 em 2013 para 4.630 em 2015.Como tecnologia para o desenvolvimento sustentável o turismo comunitários vem sendo referência para o fortalecer territórios protegidos por políticas ambientais.

Redimensionabilidade

O turismo comunitário vem sendo desenvolvido em vários estados de norte a sul do país. Dentre os marcos desta expansão estiveram a realização de 2 seminários internacionais sobre turismo comunitário realizados pelo Terramar e parceiros. Nacionalmente esta iniciativa está articulada na Rede Turisol e tem na troca de experiencias e intercâmbios suas principais ferramentas de expansão. Dentre os principais sucessos pode se citar incidência da Rede Tucum, em 2008, na elaboração de um edital do Ministério do Turismo para o turismo de base comunitária, que apoiou 50 experiencias, abrangendo territórios rurais e urbanos. Por ser uma atividade econômica viável em diferentes territórios e com potencial de sustentabilidade, autogestão e organização comunitária nos territórios, o turismo comunitário tem sido uma ferramenta que comunidades tradicionais em situação de conflitos ambiental e fundiários vêem utilizaando como estratégia de afirmação dos modos de vida e dos ambientes locais.

Reprodutibilidade

Dentre as principais ações pedagógicas do turismo comunitário está a prática de intercâmbio entre experiências nacionais e internacionais. Nesse sentido, a Rede Tucum tem sido frequentemente abordada como experiencia de referência não só para intercâmbios, mas também para a produção de conhecimento acadêmico sobre o tema. As possibilidades de geração e diversificação de renda, assim como seus impactos ambientais positivos, as possibilidades de incluir a juventude e construir processos de intergeracionalidade que dinamizem a realidade local em seus múltiplos aspectos, estão entre os principais atrativos para a reprodução dessa experiência. Vale ressaltar que a participação e o interesse das mulheres em construir novas dinâmicas produtivas nos territórios, assim como fortalecer suas práticas ancestrais, acrescenta grande valor e interesse para populações que habitam territórios tradicionais.

Compartilhe esta solução:

 


 

Equator Blog

About Equator Initiative 

Contact Us

Follow Us: